Produtos

EISNER / MOYA Memórias de Dois Grandes Nomes da Arte Sequencial

EISNER / MOYA MEMÓRIAS DE DOIS GRANDES NOMES DA ARTE SEQUENCIAL

Álvaro de Moya, decano dos acadêmicos brasileiros teóricos dos quadrinhos, está completando 70 anos de profissão, no mesmo ano em que se comemora o centenário de nascimento de Will Eisner. Para celebrar essas efemérides importantes dos comics, está sendo editado um livro com lembranças da amizade intensa e profícua, que uniu Moya e Eisner por quase cinco décadas.Organizado pelo jornalista Dario Chaves, especializado em quadrinhos, o volume traz as ricas histórias narradas por Moya na primeira pessoa, que remontam a 1951, quando ele fez o primeiro contato com Eisner, pedido originais do artista para a Primeira Exposição Internacional de Quadrinhos, que se realizou em São Paulo, naquele ano. Sete anos depois, Moya encontraria o mestre em pessoa, em Nova York — daí em diante, foram inúmeros encontros, em várias partes do mundo, em situações diversas, com destaque para as mais importantes convenções de quadrinhos das quais participaram. Álvaro de Moya é um raconteur inigualável — sabendo, como ninguém, inebriar o ouvinte com boa conversa, e esse é o tom da narrativa desse livro formidável, temperado de bom humor e com palavras de profunda admiração entre os dois amigos, e que vem preencher uma lacuna na vasta bibliografia mundial de quadrinhos.

Preço: R$ 39,90
Nº de páginas: 96
Formato: 17x24

EISNER / MOYA MEMÓRIAS DE DOIS GRANDES NOMES DA ARTE SEQUENCIAL

Álvaro de Moya, decano dos acadêmicos brasileiros teóricos dos quadrinhos, está completando 70 anos de profissão, no mesmo ano em que se comemora o centenário de nascimento de Will Eisner. Para celebrar essas efemérides importantes dos comics, está sendo editado um livro com lembranças da amizade intensa e profícua, que uniu Moya e Eisner por quase cinco décadas.Organizado pelo jornalista Dario Chaves, especializado em quadrinhos, o volume traz as ricas histórias narradas por Moya na primeira pessoa, que remontam a 1951, quando ele fez o primeiro contato com Eisner, pedido originais do artista para a Primeira Exposição Internacional de Quadrinhos, que se realizou em São Paulo, naquele ano. Sete anos depois, Moya encontraria o mestre em pessoa, em Nova York — daí em diante, foram inúmeros encontros, em várias partes do mundo, em situações diversas, com destaque para as mais importantes convenções de quadrinhos das quais participaram. Álvaro de Moya é um raconteur inigualável — sabendo, como ninguém, inebriar o ouvinte com boa conversa, e esse é o tom da narrativa desse livro formidável, temperado de bom humor e com palavras de profunda admiração entre os dois amigos, e que vem preencher uma lacuna na vasta bibliografia mundial de quadrinhos.

Galeria de imagens