Produtos

Júlio Emílio Braz - Primórdios GraphicBook

LIMITED EDITION - Edição NUMERADA e ASSINADA    

Nº de páginas: 68
Formato: 21x28

Preço: R$ 39,99
Nº de páginas: 68
Formato: 21x28

Graphic Book - JÚLIO EMÍLIO BRAZ - PRIMÓRDIOS | 1984 - 1987

LIMITED EDITION - Edição NUMERADA e ASSINADA

PRIMÓRDIO IMPRESCINDÍVEL!
O mineiro Júlio Emílio Braz é, desde sempre, um dos maiores roteiristas da HQ nacional, tendo produzido mais de 4 mil páginas de quadrinhos, ilustrados pelos maiores profissionais do mercado brasileiro: Mozart Couto, Mike Deodato, Julio Shimamoto, Rodval Matias, Carlos Chagas, Zenival Ferraz, e muitas outras feras. Iniciou sua carreira em 1980 na revista “Spektro”, da editora Vecchi, onde logo de cara criou “Jesuíno Boamorte”, personagem que se tornou clássico instantâneo da HQB. Rapidamente se consagrou como um dos autores mais importantes de sua geração, passando, além da Vecchi, pelas editoras Grafipar, Nova Sampa, Noblet, Rio Gráfica, D-Arte, Press, entre outras. Dedicou-se mais de uma década aos quadrinhos, até descobrir o mercado de livros, onde também mergulhou de cabeça, lançando mais de 600 obras! Além de escrever centenas de livros de bolso sob pseudônimos diversos, destacou-se na literatura infanto-juvenil, onde produziu diversas obras com temáticas sociais como racismo e faturou um punhado de prêmios, inclusive internacionais.
Neste “Primórdios” você vai literalmente descobrir os primeiros passos de Júlio nos quadrinhos, através de uma caprichada seleção de histórias publicadas entre 1984 e 1987, em revistas das editoras Nova Sampa e Press. Tudo magistralmente ilustrado por uma seleção de artistas geniais: Mike Deodato, Mozart Couto, Rodval Matias, Seabra e Paulo Yokota.
Com este livro você vai ter um bom retrato do excelente momento que a HQB autoral vivia no início dos anos 80. Histórias fortes e inteligentes, repletas de questionamentos sócio-político-existenciais, aventura, ação e erotismo. E arte espetacular de uma das melhores gerações de ilustradores do Brasil.
Enfim, um material que já nasceu clássico e hoje é mais do que clássico, é imprescindível.
Imprescindível como Júlio Emílio Braz para o quadrinho nacional!